segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Blindados

O Governo autorizou a PSP a gastar cinco milhões de euros na compra de equipamento e material de segurança para receber a cimeira da NATO em Novembro, este vai ser adquirido por ajuste directo. Porquê o ajuste directo? Pela urgência da aquisição. Mas então esta cimeira não estava já planeada desde há meses?


Parte desse equipamento é para bloquear telemóveis, escudos, capacetes, gás pimenta, gás lacrimogéneo e também barreiras para vedar toda a zona do Parque das Nações.

1,2 milhões serão para viaturas para as operações de manutenção de ordem pública.

O Director Nacional da PSP dizia esta semana: “Tenho esperança que as viaturas cheguem a tempo, mas em caso contrário, não há problema, porque, naturalmente, há outras soluções”. Esta a ser ponderada a utilização das viaturas da GNR que tem vinte blindados semelhantes, das quais 14 permanecem paradas nas suas garagens.

É que os veículos encomendados não devem chegara tempo, e mesmo que cheguem não haverá tempo para que o pessoal se adapte às novas viaturas nas condições desejáveis!

Recorde-se que a PSP justificou esta compra - que inclui, além dos carros antimotim, um canhão de água e equipamento de protecção pessoal para os agentes - como sendo material, cuja falta "era sentida há vários anos para o dia a dia" e que os blindados seriam para a segurança nos bairros de risco.

Existem grandes dúvidas de que os blindados sejam a melhor opção para entrar em bairros problemáticos e também sobre o restante material: faltam polícias na rua, os agentes têm de pagar a farda do próprio bolso, têm de usar os telemóveis pessoais para o trabalho, há carros-patrulha parados de tão velhos... e agora vêm dizer que é preciso gastar este dinheiro em blindados?
Enviar um comentário

Publicação em destaque

Marionetas russas

por Serge Halimi A 9 de Fevereiro de 1950, no auge da Guerra Fria, um senador republicano ainda desconhecido exclama o seguinte: «Tenh...